Dependência Virtual

junho 28, 2009

Chutando o monstro

O outro dia o meu CP deu pau. Me enlouqueceu. Eu não conseguia acessar nada, nem meus imails, nem o MSN, nem meus sites favoritos e nem meu site de trabalho, nadinha mesmo. Fiquei desesperada, não sabia que estava assim tão viciada na vida virtual. Tive vontade de chutar o laptop, mas como o prejuízo seria grande e só meu, não o fiz. Até bem pouco tempo eu não suportava esta coisinha nojenta ( CP ), e agora não me imagino vivendo sem ela. Vejam vocês que absurdo. Como a gente se condiciona às coisas e situações sem nem se aperceber. E quando a gente se dá conta do fato, já é tarde. Já estamos contaminados e totalmente dependentes desse pequeno monstro, que nos mata de raiva e nos faz perder horas de sono pela madrugada a fora enquanto tentamos fazer nossos trabalhos, e o monstrinho resolve se vai funcionar ou não. Agora toda vez que me sento em frente a ele, antes de lhe dar vida e tempo para demonstrar seu mau humor e preguiça de trabalhar, eu converso com ele e tento amaciá-lo. Lhe digo o quanto ele é importante, o quanto eu preciso dele, etc..etc…E rogo para que ele me ajude. Peço também que Deus me dê muita paciência para lidar com os caprichos do monstrinho. Parece que está dando certo. Ele tem funcionado direitinho e eu não o chutei…ainda…o receio do prejuízo me detém.
E hoje que ele está tão bonzinho, eu estou sem inspiração para escrever. Fazer o quê? Vou aproveitar para dormir…se o Lapa 40º deixar. “É a treva” rsrs…

Fonte das Figuras: newbarrackpore.olxinclickjogos.uol.com.br; pesquisasenumeros.com www.dicionarioinformal.com.br;


Desejos

junho 20, 2009

Desejos

Hoje resolvi falar do poder do desejo. Esta força que move o mundo e transforma vidas. Enquanto se vive se deseja. Quando não se deseja mais nada é porque não existe mais vida. Enquanto se está vivo um desejo sempre vem ocupar o lugar de um outro já realizado. Sempre haverá um desejo a se realizar. Desejo de Amor, desejo de sexo, desejo de dinheiro, desejo de realizações, desejo de viajar, conhecer o mundo, alargar horizontes, desejo de conhecimento, desejo de reconhecimento. Desejo de ser magro… desejo de ser lindo… etc…Desejos de ter ou de ser. Não importa. O importante é que sempre haja um desejo, para que a vida faça sentido. Para que tenhamos um objetivo a alcançar. E que este desejo seja bem grande para ser preciso lutar-se para concretizá-lo, isso nos faz dar o melhor de nós. O desejo traz em si uma força de realização criadora que revitaliza, energiza e renova. Portanto, cuide para que sempre haja em sua vida um grande desejo para ser realizado.
Nada pode ser pior que o tédio de uma satisfação total e comodista que nos impeça de desejar e nos faça estagnar. “ É a treva ”. Rs.
Bem … o meu recado é esse: Deseje…Deseje…Deseje sempre. Não importa o que. Apenas deseje algo com todas as forças do coração, e você saberá que está vivo.

“O Desejo é a própria essência do Homem”
(Baruch Spinoza) Filósofo Holandês

Fonte das Figuras:  pt.wikipedia.org;  www.comamor.com.br


A Lapa não dorme

junho 15, 2009

Teatro Mágico na Lapa

Lapa, bairro tradicionalmente boêmio do Rio de Janeiro.
Em cada esquina uma casa de shou, ou de dança, um restaurante ou um boteco. Circo Voador, Sala Cecília Meireles, Fundição Progresso, e muitas outras, enfim uma região onde se respira arte em todas as suas formas. O slongan da Fundição Progresso se aplica a todo o bairro da Lapa, ( local de todas as tribos e todos os ritmos. O Lapa 40º reúne a turma jovem, como a própria casa e seu vizinho o centenário Clube Democrático faz a festa do pessoal de maior idade. Mas na verdade não existe uma separação. Em todas as casas de shou, que ficam sempre lotadas, a gente vê gente de todas as tribos. Este fim de semana fui assistir a um shou na Fundição Progresso, onde se aglomeravam aproximadamente umas 5 mil pessoas de todas as idades e diferenças possíveis. Pessoas tão impares entre si, quanto o fabuloso ( Teatro Mágico ) que as estava alimentando de pura Arte. Não posso deixar de falar desse fantástico shou que apresenta Música, Dança, Malabarismo, Poesia, diversão, alegria, Cultura e muita Arte, realmente imperdível. Pode-se andar na Lapa até as 5h. da manhã, que as ruas estarão repletas de gente e de movimento, e de todos os odores e todos os sabores, e dos diversos idiomas estrangeiros que se misturam com o nosso. Enfim a Lapa respira e emana uma gama de sensações em sua eterna vigília, onde a noite é apenas uma extensão do dia e não uma hora para se dormir.

E agora, que o dia está clareando, vou dormir um pouco, estou morrendo de sono, pois a noite foi impossível, realizar tarefa tão simples. Moro em frente ao Lapa 40º.

Fonte das Figuras:

queroshows.com; pimentacult.com.br; oglobo.globo.com; http://www.lanalapa.com.br;  www.odiariorj.com


Felicidade

junho 12, 2009

Muito Feliz

A Felicidade é constituída de tão pouco, que nem nos damos conta de sua presença. Enquanto reclamamos do que nos falta, esquecemos de agradecer tudo que temos. A Felicidade está dentro de nós, nas pequenas alegrias, nas realizações mais simples. Como ler um bom livro, ouvir uma linda música ou uma Poesia. A Felicidade é uma maneira de se ver a vida, tentando sempre enxergar poesia em todas as coisas e fazer feliz a outras pessoas.
Se plantarmos Felicidade, vamos colher Felicidade. A Felicidade não é uma questão de ter, mas sim de ( Ser… ou não ser) eis a questão. Rs… fora a brincadeirinha a coisa é séria. Ser agradecido, ser solidário, ser generoso, ser gentil. Ser o melhor para com o próximo. Ou não ser mal agradecido, não ser egoísta, não ser mesquinho, não ser desagradável com os outros. Tudo que dedicamos ao próximo, até mesmo um sorriso, volta para nós com força total. E de repente, a Felicidade explode no coração ao simples som de uma voz querida. Em uma palavra de carinho, ou em um gesto de afeição que surpreende e emociona. Então nos damos conta do tanto que temos para agradecer e percebemos que a Felicidade está bem ali, dentro de nós, em todos os momentos. Em cada passo do caminho, em cada batida do coração.No nosso respirar e no respirar de todos os nossos.

“Procurando o bem para os nossos semelhantes, encontramos o nosso”

                                                                                                                            (Platão)

Fonte da Figura: pt.wikipedia.orgwiki