Palavra Calada

setembro 29, 2010

Papel e caneta na mão, me sentei para escrever a crônica da semana. Mas da crônica não era a vez. Não sei como, não sou eu que resolvo essas coisas. Rs.
Só o que sei, é que o sambinha se fez. Então acho que é pra eu mandar pra vocês. Pena que não dá pra escutar. Mas vai aí, na batida do samba…pá,pá,tic,tum…

Palavra Calada

E a fonte secou
A palavra calou
Procuro dentro de mim
No fundo sem fim

Pensamentos mil
Pensamento bom
Pensamento vil
Não encontro o tom

Preciso falar
Não consigo expressar
O Dom se escondeu
Que angústia meu Deus

O que posso fazer?
Pra desabrochar
Toda a ânsia a calar
Dentro do Ser

Me ajuda Senhor
Devolve o meu Dom
Me deixa escrever

Não agüento essa dor
De calar o meu som
Da palavra a dizer

Que explode na alma
Queima na mente
E só se acalma
Quando extravasa o Ser

Porquê não consigo falar?
Se tanto tenho a dizer?
Porquê na boca o deserto?
Se na alma o Universo é certo?

Refrão

Me ajuda Senhor
Devolve o meu Dom
Me deixa escrever

Não agüento essa dor
De calar o meu som
Da palavra a dizer

Bis

Que explode na alma
Queima na mente
E só se acalma
Quando extravasa o Ser

“E quando faltarem as palavras
que as músicas digam
tudo aquilo que ficou por dizer…”
(Dona Geo)

Anúncios

Controle

setembro 18, 2010

Com o verão se aproximando e o calor que já se faz presente, começa a agonia do espelho. Ou seria melhor dizer que recomeça? É, no inverno relaxamos um pouco a ditadura da forma escultural. O tempo ajuda. São tantas roupas… grossas, largas, pesadas. E o chocolate quentinho? Aquecendo os ossos, que vão se recobrindo sem que a gente se dê conta.
Até que de repente, o calor chega, e as roupas somem, e o corpo que estava escondido, aparece, em todo seu esplendor, exuberante, forte, saciado, e sem cor. Pedindo sol, pedindo licença aos panos, querendo se expandir… em liberdade, não em tamanho.
E aí, voltamos à guerra, Guerra contra a gula, guerra contra a preguiça. Guerra contra o corpo. Ou melhor, ao tamanho do corpo.
Então só uma coisa nos salva do corpo indesejado. O Controle. O controle da gula, o controle da preguiça. É hora de se mexer. Mexer todo o corpo, menos a mandíbula. Nossa, que sacrifício. Dói só de pensar.
Nós sugerimos uma receita bem mais simples. Viver o ano inteiro, como se o verão durasse 365 dias. Assim a gente acaba se acostumando, e fica mais fácil e mais saudável manter o corpo ideal. E aderir à ditadura. É melhor que ficar exilado, com vergonha de aparecer.
Ou então, relaxa e goza, toda a expansão do ser. Ser gordo, ser feliz, ser do jeito que quiser. E dane-se a ditadura.

“Ser gorda (o) nunca impediu ninguém inteligente de ser feliz!”
(Autor Desconhecido)

Fonte das Figuras:
todaperfeita.com.br
artesanatobycassia.blogspot.com
queroevouemagracer.blogspot.com


Do tumulto da metrópole ao bucólico.

setembro 13, 2010

Santa Tereza de Portas Abertas é uma volta ao passado, é como entrar no túnel do tempo e desembarcar numa cidadezinha de interior, onde as ruas ainda são cheias de trilhos incrustados entre os paralelepípedos, e precisa-se tomar cuidado com o transito, pois eis que vem ele; o bondinho, apinhado de gente pendurada nos estribos, sacolejando nos trilhos; senhor do pedaço, todos abrem alas pra ele, pessoas e carros.
E a cidadezinha com suas casinhas e casarões, de portas abertas, todas em exposições das mais diversas, entre o moderno e o antigo; Encanta o nativo e o estrangeiro de todas as línguas, com seu cenário impar e as variadas opções que se apresentam.
Artistas que pintam suas telas ali mesmo, entre os transeuntes, artistas que soltam a vós em belas canções tradicionais ou atuais.
Enfim é um cenário artístico e cultural para todos os gostos, onde ainda se tem de brinde, de alguns pontos, uma vista privilegiada da cidade maravilhosa.

“A Cultura é a amplidão da mente e do espírito”.
(Nehru)

Fonte das Figuras:

http://andreaarteira.blogspot.com

pinturaaoarlivre.blogspot.com
gratisanuncios.com.br
oglobo.globo.com
laisepetito.blogspot.com


Esperança… Medo… ou busca de Conhecimento???

setembro 6, 2010

Não Sabemos, mas pensamos que um desses fatores, move a grande quantidade de gente que vai fazer desse evento, (O filme Nosso Lar); um campão de bilheteria.
É interessante observar a reação das pessoas ao término do filme.
A maioria sai calada, pensativa, introspectiva. Talvez esses sejam os que foram em busca de conhecimento. Outros saem rindo, fazendo piadas.
Outros ainda, saem fazendo comentários nos quais nota-se seriedade, porem percebe-se que a mensagem do filme não foi totalmente assimilada, embora esteja bastante clara. Confundiu-se Amor com formalidades sociais terrenas. No entanto dá para notar também, que esses, foram em busca de algo maior. Buscavam Esperança.
Esperança de reencontros, de recomeços, de vida após a vida.
E saíram consolados, com as respostas que foram buscar, e a Esperança viva.
Mas não importa qual a motivação. O importante é observar que a grande maioria se move em busca de algo que não seja apenas o terreno, o concreto, o material. Esse movimento mostra claramente que apesar da morte, ainda ser o maior dilema do homem. Não é mais tratada como tabu.
Ao contrário, tenta-se compreendê-la, e dentro do possível, conhecê-la um pouco mais, no intuito de não ter que se conviver com uma completa desconhecida, quando a hora chegar.
E uma hora, a hora vai chegar com certeza. Este é o fato.
Já pensou? É como abrir a sua casa, e colocar um completo estranho para conviver com você, pelo resto da sua vida.
Sim. Pelo resto da vida. Porque: “A Morte é uma Piada”.
A vida continua.

“A Morte é a mudança completa de casa; sem mudança essencial de pessoa…
Tudo tem seu apogeu e seu declínio… É natural que seja assim; todavia; quando tudo parece convergir para o que supomos o nada, eis que a vida ressurge, triunfante e bela!…Novas folhas, novas flores, na indefinida bênção do recomeço!…”
(Chico Xavier)

Fonte das Figuras:
observarecriticar.wordpress.com
megariopreto.com.br
jovensespiritasautadesouza.blogspot.com
gazetaonline.globo.com
japress.blogspot.com

Ps: “A Morte é uma Piada”.(Peça Teatral de Renato Prieto);Com renda toda revertida para a caridade.

Se você busca Esperança e, ou conhecimento, Assista o filme; e se deseja participar efetivamente para a caridade, veja a Peça, que se encontra viajando pelo Brasil, e pode estar em sua cidade.

Se desejar contactar-se com Renato Prieto, para saber maiores informações sobre a peça e, também, para agendar apresentação  em sua cidade, anote os telefones e e-mail do artista.

Desde já agradecemos.

Telefone: (21) 2275-3346 e 2275-3373

E-mail: r3373@terra.com.br

.