Rio Belo

fevereiro 20, 2011

Hoje estás especialmente belo. Amo você Rio. Amo tua beleza, Teu mar sereno, tuas areias brancas, tuas lindas caravelas e traineiras coloridas, teu céu azul e os verdes montes, tuas palmeiras verdejantes, teu ar e teu cheiro,
Rio tu me inspira e fascina.
O azul do céu se insinuando e se escondendo com o balanço do vento, por entre a treliça verde das folhas da palmeira, que abrigam do calor do sol dourado, sugere a magia do amanhã, sempre surpresa.
Os aviões que ganham o céu, levam o pensamento, na aventura de novas terras, novas descobertas, novos começos.
Os que pousam suavemente aludem o porto seguro, Escaladas alcançadas com sucesso.
A gaivota planando nas alturas é a imagem da liberdade. Quando mergulha em busca de alimento, remete ao mergulho da alma em busca dos sonhos.
Nas pequenas e esparsas nuvens de algodão, brincamos de fazer figuras, como quando éramos crianças, e sabíamos brincar. Tudo ao som de uma bela música a nos embalar.
Toda essa beleza é o alimento necessário, para mais uma semana da vida e mais escaladas, até voltarmos aqui com a intenção de escrever algo diferente e sermos arrebatados pelo encanto e magia desse Paraíso Encantado, mais conhecido como Aterro do Flamengo, situado bem no coração de Rio Belo de Janeiro a Janeiro.

“Que eu possa sempre enxergar a beleza, onde quer que ela se encontre.
E sentir na alma esse frêmito que a faz regozijar“.
(Graça Mourão)

Fonte da Figura: correiodalapa.blogspot.com

Anúncios

FOREVER

fevereiro 17, 2011

De repente a vida se transforma num tédio. A deprê toma conta. Nada mais tem graça. E a gente não entende o que aconteceu. Antes era tudo tão interessante, apesar de tantos problemas, tantos obstáculos a serem superados. A vida era tão difícil, e, no entanto tão mais alegre e divertida. O que mudou? O que é diferente agora?
Aí é que está a chave do problema.
Porque a vida era tão melhor? Porque tínhamos objetivos a alcançar. Metas a vencer.
É natural do Ser humano o estar sempre em busca de superação. Desejar sempre.
Quando se realiza um desejo, é necessário já se ter outro engatilhado. E quanto mais difícil de realizar, melhor. Por isso, não deseje pouco. Não sonhe pequeno. Sonhe grande. Deseje alcançar as estrelas. De preferência, a maior, a mais alta no céu, a mais brilhante. Aquela que lhe parecer um Diamante.
E uma coisa é certa. Enquanto você estiver a tentar alcançá-la, vai se sentir vivo. Como uma águia alçando vôo, a alturas inimagináveis, e livre.
Livre do tédio, livre do limitado, livre do impossível.
Portanto…

Descubra o seu sonho.
E que ele seja bem grande.
Seja mesmo, o maior dos seus desafios.
Para que você doravante
Palme todos os seus rios
Atrás dos Diamantes!

Venha comigo. Que te apresento a maior oportunidade de Negócio do mundo.
Vamos juntos ao topo. Venha se superar. E ser Livre e Feliz!
Seja um Distribuidor FLP do Brasil, e realize todos os seus sonhos!
Me contate. Ponha Graça em sua vida.

“Uma vida sem desafios não vale a pena ser vivida”.
(Sócrates)


Fonte da Figura: classificados-brasil.com


Tempos Modernos

fevereiro 5, 2011

Um tempo de constantes mudanças, no pensar, no agir, no expressar emoções. O tempo do efêmero, do pueril e descartável. O tempo da máquina. A Internet que conecta o mundo. Não existe lugar ou pessoa longe o suficiente para serem alcançados. Um mundo de desconhecidos, dentro de uma maquina, longe o suficiente para serem alcançados pelo olho no olho, pelo calor do encontro pessoal. Tempo que gera inquietações e angustia. Traz um comportamento dúplice. Uma face para a sociedade, onde se é ligado, descontraído, livre e feliz. Ou seja, moderno.
Outra, mais verdadeira, que só se mostra na intimidade. A face do homem de todos os tempos. Resguardado, inseguro, sempre em busca de algo que não se identifica, mas que se imagina, traga a realização pessoal, a completude que se deseja em surdina. A felicidade.
Apesar deste ser o desejo que acompanha o homem desde a antiguidade dos tempos, o homem do tempo moderno, precisa aprender a se adequar ao contexto atual, ou corre o risco de se sentir morrer de solidão em um abismo de liberdade.

“Nós somos mais livres do que jamais o fomos para lançar o olhar em todas as direções; Nós não percebemos limite algum.
Temos essa vantagem de sentir em volta de nós um espaço imenso
– mas também um vazio imenso “.
(Nietzsche).

Fonte da Figura: br.olhares.com